Papéis Estratégicos das Categorias

        

Primeiro vamos relembrar: o GC (Gerenciamento por Categorias) é um processo que consiste em gerenciar as categorias como unidades estratégicas de negócio para produzir resultados comerciais melhores, através da concentração de esforços na entrega de maior valor ao shopper e ao consumidor e, categoria, é o agrupamento de produtos relacionados e complementares (por exemplo: shampoo, creme dental e fralda infantil). A ideia central do processo de GC é potencializar as vendas e a lucratividade do varejo por meio da oferta de produtos dispostos de forma a atrair e facilitar escolha e a compra do shopper/consumidor
        Para obter melhor resultado, definições estratégicas são fundamentais para alinhar caminhos entre diferentes áreas que atuam direta e indiretamente com as categorias (tais como Logística, Compras e Marketing), avaliar e definir a capacidade de investimento, armazenamento e, o mais importante, a entrega de valor aos clientes que frequentam o negócio. Para isto, existe uma etapa extremamente relevante no passo a passo do GC que apoia esta definição e que trata de classificar as categorias pelo papel que desempenham (ou que irão desempenhar), considerando capacidade de atrair clientes para a loja e sua relevância no negócio, sendo definidas como: Categoria Destino, Categoria Rotina, Categoria Sazonal/Ocasional e Categoria Conveniência.

Destino
       Categoria REFERÊNCIA
Aquela que tem o objetivo de atrair clientes com sua capacidade de entregar a solução completa de um determinado “problema”, com sortimento completo e inovador.

Rotina
       Categoria de REPOSIÇÃO 
São aquelas que tem produtos comprados com frequência para o uso normal do seu dia a dia, em que o varejo garantirá as marcas mais relevantes do mercado.

Ocasional /Sazonal
       Categoria de PRAZO DETERMINADO
Itens relacionados a eventos, estações do ano e com grande oscilação de venda.
 
Conveniência
·      Categoria que GERA IMAGEM DE SOLUÇÃO
Atende desejos pontuais ou emergenciais de consumo, sua compra é realizada por impulso ou por emergência.
 
        Vale destacar que a mesma categoria poderá assumir papéis diferentes dependendo da região da loja, época do ano e até cenário em questão. Além disto, a criação ou retirada de categorias no ponto de venda faz parte do processo, do ciclo de vida e das necessidades pontuais. Exemplos disto: (1) se a categoria de produtos corporais é classificada como rotina, na estação verão ela passa a ser sazonal pelo pico de venda, necessitando exposição e atenção total ao seu sortimento, estoque e preço. (2) Em tempos de pandemia de Covid, máscaras de proteção, álcool gel, álcool 70º e desinfetantes ganharam mais espaço na gôndola, tanto de estoque como de novas marcas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Você sabe o que é Gerenciamento por Categoria? Sabe como este processo pode ajudar na definição de sortimento?

O que o consumidor quer é conveniência!